quarta-feira, 9 de junho de 2010

Prova de Fogo


Um filme...um casamento...um movimento.
“Prova de Fogo é um lembrete divertido e desafiador do que é preciso para se ter um casamento vencedor”.
Prova de Fogo é um filme direcionado a todos os casais estando estes vivendo bem ou enfrentando alguma dificuldade no convívio diário. Resumidamente o filme trata de um desgaste enfrentado no casamento de Caleb e Catherine. Com o passar do tempo ambos buscaram alcançar metas diferentes. A conseqüência para tal decisão recorre em constantes desavenças, dificuldade em comunicar-se, ausência de vida sexual e sobrecarga sobre um dos cônjuges. Por fim, Catherine decide pedir divórcio. Caleb angustiado comunica a seus pais a decisão de a sua esposa. Ao saber do momento difícil enfrentado por seu filho o pai de Caleb o visita e o pergunta se ele concordava com a decisão de Catherine. Caleb diz que não, mas que não sabia como poderia reverter a situação. Diante desta afirmação seu pai solicita um prazo de quarenta dias para que o filho tente resgatar seu casamento fazendo uso de um livro, intitulado “O desafio de amar”. Caleb em um primeiro momento reluta, mas aceita o desafio lançado por seu pai. O restante da história você vai ficar sabendo ao assistir o filme. Acredite! Você não vai se arrepender.
O filme faz com que telespectador reflita sobre seu casamento ou relacionamento. Se buscarmos o significado da palavra casamento encontraremos no dicionário Larousse (2001) duas expressões; 1 – união legal de um homem e de uma mulher e 2- combinação, união, aliança.
Em nossa cultura as duas expressões citadas pelo dicionário descrevem bem o que compreendemos como casamento. Entretanto, se o significado desta palavra nos remete a tanta proximidade porque assistimos a tantos divórcios? Várias poderiam ser as questões aqui levantadas. Todavia, o que mais comumente ouço no consultório é o sentimento de culpa. Grande parte dos casais ao darem início ao processo psicoterapêutico apresenta o parceiro ou parceira como sendo o pivô dos problemas que nunca acabam. E quando digo problema refiro-me a questões do tipo: deixar a tampa do vaso levantada, comprar em grande quantidade, deixar as roupas jogadas, não lavar as louças dentre outros. Observo que mundo contemporâneo tem contribuído para fomentar a disputa entre os cônjuges, desta forma, os casais perdem o real significado do casamento, ou seja, construir juntos, descansar juntos, crescer juntos, chorarem juntos, rirem juntos. Por isto a existência da aliança. Se buscarmos o significado deste símbolo perceberemos que o formato circular da aliança fora escolhido uma vez que o mesmo não apresenta lado, nem principio ou fim, mas sim, um elo utilizado para unir dois corações. Para os antigos gregos, duas almas. Acredito que a guerra entre os gêneros masculino e feminino na busca de espaço e reconhecimento está também sendo traçada dentre das residências. Saliento que a busca de reconhecimentos nos mais diversos âmbitos são importantes e porque não dizer necessários. A problemática dar-se início quando os guerreiros e guerreiros não se desfazem de suas armaduras para adentrarem em seu lar. O bom marido percebe as necessidades de sua esposa. Conhece seu modo de vestir, seu cheiro e aquela carinha que diz “você sabe que eu não gosto disto”. Com a boa esposa não é diferente. A mulher sábia sabe como conquistar seu marido, como controlar as dificuldades que seu marido não pode ou consegue suportar. Com seu discernimento sabe apimentar o relacionamento. O casal em sintonia vivencia o mais puro e verdadeiro amor. Mas o que poderíamos chamar de verdadeiro amor? Comportamentos adequados e maduros para superar e enfrentar os mais diversos obstáculos. Neste momento, o casal consegue percebe-se enquanto um elo, unidos pela aproximação dos corações apesar das inúmeras dificuldades.
Enquanto psicólogo sinto-me honrado quando consigo auxiliar um casal a se redescobrir, a se aperceberem. Por vezes ouço pessoas dizerem que quando um casal busca terapia é porque realmente irão se separar. Não concordo com este afirmação. Dizer que existem casais que durante a terapia optam por um divórcio é fato. Todavia, não podemos compreender como regra.
Existe uma frase conhecida para que, se interesse em Psicologia muito usada pelos acadêmicos que afirma: “cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é”. Acredito que dentre tantas outras esta ilustra perfeitamente o casamento. Duas pessoas diferentes com um tempero adequado que hora amarga, mas que também apresenta um dos melhores sabores já experimentado. Pelo menos é assim que vivo meu casamento. Assim, peço licença para meus leitores e uso deste espaço para demonstrar o meu carinho e amor pela minha esposa, minha delícia e também minha dor. Amo você!

2 comentários:

Anônimo disse...

Boa tarde Dr. Sérgio! Estou escrevendo para concordar com a sugestão do filme. Incrível. Fazia tempo que eu não assistia um filme assim, tão profundo, sem cenas de sexo, violência ou coisas do tipo.
Sinceramente vale a pena conferir o filme em questão.
Abraços
Camila - Linhares - Espírito Santo

Ponto de Equilíbrio disse...

Boa tarde Camila!
Fico feliz que você tenha gostado da indicação. É verdade, o filme não é permeado de conteúdo sexual ou de violência. Entretanto, permeia o tempo todo sobre o aspecto da sexualidade. Diferente do que a grande parte das pessoas imaginam sexualidade e sexo são aspectos completamente diferentes apesar de criarem uma dicotomia. Sexo é caracterizado como o ação sexual, ou seja, pênis/vagina. Já a sexualidade está direcionada no modo como nós nos relacionamos com o mundo ao nosso redor. Assim, vivenciamos nossa sexualidade com nossos amigos, com nossa família, no trabalho em qualquer lugar. O filme "A Prova de Foga" vem nos chamar atenção justamente para isso, ou seja, como estamso nos relacionamendo com as pessoas ao nosso redor? Estamos as respeitando? Nos fazendo presentes?
Obrigado Camila pelo comentário e sinta-se à vontade para continuar participando do Ponto de Equilíbrio.

Postar um comentário